O Portal do Aviador reúne sites e muito conteúdo relacionados à aviação. Notícias, anúncios e cobertura de eventos aeronauticos.

Aeronaves a Venda Aviação Geral Lançamentos

Investimento da Cessna em Turboélices

Compartilhe
, / 408

Recentemente a Cessna anunciou duas novas aeronaves turboélice. O investimento nesse setor deve-se à recente união entre Cessna e Beechcraft, formando o grupo Textron Aviation.

Os dois modelos irão se juntar ao Grand Caravan, velho conhecido da aviação geral, na linha de operações versáteis do grupo.

Imagem: Cessna Grand Caravan EX (www.cessna.txtav.com/en/turboprop/grand-caravan-ex)

Em 2015 foi anunciado o Cessna Denali, também monomotor turboélice, porém focado no transporte de passageiros apenas. O equipamento contará com a qualidade Cessna, hélice com 5 pás e um motor turboélice fabricado pela General Electric disponibilizando 1240 shp de potência e FADEC (Sistema inteligente de gerenciamento de motor).

Imagem: Cessna Denali (www.cessna.txtav.com/en/turboprop/denali)

O Denali poderá transportar até 9 passageiros à 31.000ft de altitude, 285kts de velocidade por até 1.600nm de distância (Dependendo do peso e condições meteorológicas).

A outra grande aposta do grupo é o Cessna Sky Courier 408. A aeronave contará com 2 motores turboélice e superconfiáveis PT6A-65SC com 1100shp de potência disponível cada, além de 2 conjuntos de hélice com 4 pás fabricadas em alumínio.

  Imagem: Cessna Sky Courier 408 (www.cessna.txtav.com/en/turboprop/skycourier)

O modelo traz ao mercado uma proposta também semelhante ao Grand Caravan, equipamento que pode ser operado para o transporte de passageiros e cargas. Para passageiros estarão disponíveis 19 assentos, já na versão cargueira, poderão ser transportados até 2722kg de carga paga.

A aeronave tem condições de decolar em 1.006m de pista, operar com velocidade máxima de 200kts e teto máximo de 25.000ft.

Ambos projetos são bastante ambiciosos e trazem ao mercado novas opções e concorrência. A qualidade do grupo Textron, dos seus fornecedores e a quantidade de operadores aéreos fidelizados com as fabricantes poderão garantir o sucesso operacional dos dois equipamentos apresentados.

Torcemos para que, em breve, possamos encontrar essas aeronaves voando em nosso país, elas estão de acordo com o principal tipo de operação da aviação geral brasileira: A operação em pistas não pavimentadas e curtas.

Por:  Carlos Eduardo Damasceno

Gostaria de receber mais detalhes:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Sua mensagem