O Portal do Aviador reúne sites e muito conteúdo relacionados à aviação. Notícias, anúncios e cobertura de eventos aeronauticos.

Aviação Comercial

Boeing 777x, o maior lançamento na era dos jatos comerciais

Compartilhe
, / 1766

Nova família da Boeing, com entrega prevista para 2020, trará 12% de economia de combustível e asas que se dobram durante aterrissagem

Pedro Rosas
Portal do Aviador
Representação do futuro B777X, que irá combinar a fuselagem alongada do 777 com pontas das asas dobráveis e motores GE9X da GE Aviation


De olho no bolso dos bilionários árabes e no efervescente mercado do oriente médio, a fabricante americana Boeing anunciou o programa 777x, durante o Dubai Airshow 2013, representando o maior lançamento de um produto na história dos jatos comerciais. O número recorde de pedidos para o novo projeto incluem cartas para quase 300 aeronaves, somando quatro clientes em toda a Europa e Oriente Médio. O valor total dos contratos ultrapassa a cifra de US$ 100 bilhões, incluindo:


  • Etihad Airways (Emirados Árabes), com 25 aviões;
  • Qatar Airways( Qatar), com 50 aviões;
  • Emirates (Emirados Árabes), com 150 aviões;
  • Lufthansa (Alemanha), com 34 aviões.

Asas que se dobram

Sabemos que, nas últimas décadas, os aviões comerciais foram ficando cada vez maiores – por questões técnicas, quanto maior a envergadura (distância entre as pontas das asas), maior eficiência terá o avião. Contudo, o tamanho dos terminais, na maioria dos aeroportos, permaneceu o mesmo. Para contornar este dilema na infraestrutura, o projeto 777x da Boeing trará asas que se dobram na aterrissagem, tornando-os capazes de operar em aeroportos de tamanho reduzido.

Utilizando fibra de carbono reforçado com plástico, num mecanismo similar ao das aeronaves F/A-18 Super Hornet (capazes de reduzir a envergadura para 64m), a ideia não é exatamente inédita e foi patenteada pela própria Boeing em 1995, quando construiu um protótipo que acabou não decolando. Depois disso, a fabricante americana ainda integrou winglets (ponta das asas) verticais em seu 737, mas em composição estática, ao contrário do 777x, que trará estruturas móveis e articuladas.

Baseada no modelo 777, líder absoluto da categoria widebody e atual best-seller da fabricante (detendo 55% do mercado e 71% da frota mundial), a nova família da Boeing inclui as versões 777-8X e 777-9X. O primeiro com capacidade para 350 passageiros e autonomia para 9.300 milhas náuticas (17,220 km). O segundo numa configuração maior, para 400 passageiros, e autonomia reduzida, podendo alcançar 8.200 milhas náuticas (15.185 km).

“Com a nova tecnologia dos motores GE9X e asas de material composto, o 777X será o maior e mais eficiente avião bimotor do mundo”, disse o Presidente da Área de Aviões Comerciais da Boeing e CEO Ray Conner. Os motores, fornecidos pela GE Aviation, revelam um desenho mais eficiente das pás do rotor, melhorias mecânicas e aerodinâmicas nos conjuntos do compressor e turbinas.

Outro estandarte dos modelos 777x está no consumo de combustível, que promete ser “12% mais eficiente do que qualquer avião da categoria”, completou Conner. Assim como o Boeing 787 Dreamliner, lançado sob a sigla B7E7, os modelos 777X ainda não foram oficialmente batizados. O projeto está em andamento e fornecedores serão indicados nos próximos meses. A produção está marcada para começar em 2017, com a primeira entrega prevista para 2020.

Dubai Air Show movimenta 120 milhões de euros em apenas três horas

As principais fabricantes e empresas aéreas de todo o planeta estiveram reunidas, de 17 a 20 de novembro, nos Emirados Árabes Unidos, onde aconteceu o Dubai Air Show 2013, hoje um dos encontros de maior expectativa dentro da aviação business mundial. Além da Boeing, companhias como a brasileira Embraer, a francesa Airbus e a canadense Bombardier, exibiram suas novidades, entre materiais, aparelhos e serviços de última geração.

No primeiro dia, num período de apenas três horas, foram fechados negócios no valor de 120 milhões de euros, batendo o recorde absoluto do evento. Os maiores compradores foram a Etihad Airways, Emirates Airlines e a Qatar Airways, respectivamente. A Embraer compareceu com sua linha completa de aeronaves (comerciais e executivas) e exibiu, na exposição estática, os jatos Legacy 650 e Lineage 1000.